Galego | Castellano| Português

DOG - Xunta de Galicia -

Diario Oficial de Galicia
DOG Núm. 93 Terça-feira, 16 de maio de 2017 Páx. 23748

III. Outras disposições

Conselharia de Cultura, Educação e Ordenação Universitária

RESOLUÇÃO de 4 de maio de 2017, da Direcção-Geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa, pela que se ditam instruções para o acesso e admissão aos ensinos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais para o curso 2017/18.

O Decreto 174/2015, de 29 de outubro, pelo que se estabelece o Plano de estudos dos ensinos artísticos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais na Comunidade Autónoma da Galiza, no seu artigo 5.1, estabelece que para o acesso a estes ensinos se requererá cumprir os requisitos estabelecidos no artigo 56.1 da Lei orgânica 2/2006, de 3 de maio, de educação. Além disso, o ponto 4 do mesmo artigo estabelece que a conselharia competente em matéria de educação, através da direcção geral correspondente, convocará, organizará, desenvolverá e avaliará, com carácter anual, una prova específica de acesso a estes estudos superiores.

Igualmente, a Ordem de 21 de novembro de 2016, pela que se regula a ordenação dos ensinos superiores de Conservação e Restauração em desenvolvimento do citado Decreto 174/2015, de 29 de outubro, nos seus artigos 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9, regula respectivamente os requisitos gerais para o acesso, a prova específica de acesso, as características da prova específica de acesso, a prova que substitui o requisito de título, a convocação das provas de acesso, o acesso para aspirantes com deficiência e o acesso para desportistas de alto rendimento e/ou nível.

Em consequência, procede ditar instruções para o acesso e a admissão do estudantado aos ensinos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais para o curso 2016/17. Portanto, em virtude das atribuições que lhe são conferidas pelo Decreto 45/2012, de 19 de janeiro, pelo que se estabelece a estrutura orgânica da Conselharia de Cultura, Educação e Ordenação Universitária, esta direcção geral

RESOLVE:

Convocar as provas específicas de acesso aos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais para o curso 2017/18, que se regerão pelas seguintes instruções:

Primeiro. Acesso

1. De acordo com o estabelecido no artigo 3 da Ordem de 21 de novembro de 2016, para o acesso aos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais, em quaisquer das suas especialidades, requerer-se-á estar em posse do título de bacharel ou título declarado equivalente para os efeitos académicos, ou ter superada a prova de acesso à universidade para maiores de 25 anos, assim como a superação da correspondente prova específica a que se refere o artigo 56.1 da Lei orgânica 2/2006, de 3 de maio, de educação.

2. De conformidade com o estabelecido no artigo 4.1 e 4.2 da Ordem de 21 de novembro de 2016, a prova específica de acesso aos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais terá por objecto demonstrar que o aspirante possui a maturidade, os conhecimentos e as aptidões para cursar com aproveitamento estes estudos, será única para as diferentes especialidades destes estudos superiores, e terá carácter unificado para todos os aspirantes. As características e a qualificação da prova específica de acesso aos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais ajustar-se-ão ao disposto no artigo 5 da citada ordem.

3. De conformidade com o estabelecido no artigo 4.4 da Ordem de 21 de novembro de 2016, a superação da prova específica de acesso faculta unicamente para a participação do aspirante no processo de admissão a estes ensinos no curso para o que são convocadas e realizadas, em qualquer dos centros do Estado nos que se cursem estes ensinos, sem prejuízo da disponibilidade de vagas.

4. Poderão apresentar à prova específica de acesso aos ensinos artísticos superiores aquelas pessoas que, tendo acedido à universidade por uma via diferente à do bacharelato, acreditem estar em posse de um título universitário de licenciado ou escalonado. Quem acredite estar em posse de um título universitário de diplomado poderá apresentar-se à dita experimenta se o título universitário de diplomado ficou assimilado ao correspondente título universitário de grau.

5. Aquelas pessoas que desejem realizar a prova específica de acesso e tenham pendente alguma das matérias do bacharelato poderão inscrever no processo de acesso e admissão e realizar a dita prova, e no caso de superá-la, poderão optar à asignação do largo solicitado, uma vez estejam em posse do título de bacharel, no prazo extraordinário de matrícula, se houver vaga no turno correspondente, e segundo os critérios de asignação estabelecidos nesta resolução.

Segundo. Acesso para aspirantes com deficiência

1. De acordo com o estabelecido no artigo 8 da Ordem de 21 de novembro de 2016, os/as aspirantes ao acesso e admissão aos ensinos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais que apresentem alguma deficiência poderão requerer a adaptação que corresponda para a realização das provas de acesso aos ditos ensinos.

2. Para tal efeito, os/as aspirantes com alguma deficiência deverão apresentar, junto com a sua inscrição no procedimento de acesso e admissão aos ensinos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais, a documentação que acredite oficialmente a sua deficiência e uma solicitude de adaptação dos médios e condições de realização da prova de acesso que corresponda.

3. Corresponde ao tribunal encarregado da organização, a realização e a qualificação de cada prova adoptar as medidas precisas e adaptar os meios e as condições de realização da prova, com o objecto de permitir que os/as aspirantes com deficiência possam realizar a prova correspondente em condições de igualdade com o resto de aspirantes.

Terceiro. Acesso para desportistas de alto rendimento e/ou nível

De acordo com o estabelecido no artigo 9 da Ordem de 21 de novembro de 2016, em cada centro da Comunidade Autónoma da Galiza em que se dê alguma das especialidades dos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais, reservar-se-ão adicionalmente as vagas necessárias em cada especialidade dada, para o acesso a estas de os/das aspirantes com a condição de desportista galego de alto nível e/ou rendimento, e que reúna os requisitos académicos estabelecidos.

Quarto. Órgãos competente para resolver os processos de acesso e a admissão

1. Acesso. Tribunal.

De acordo com o estabelecido no artigo 7.3 da Ordem de 21 de novembro de 2016, para a organização, realização, avaliação e qualificação das provas específicas de acesso, constituir-se-á o tribunal que figura no anexo a esta resolução. A direcção da Escola Superior de Conservação e Restauração de Bens Culturais adoptará as medidas oportunas relacionadas com a disponibilidade de espaços e médios para a realização das provas, em colaboração com a presidência do tribunal.

2. Admissão. Comissão de admissão.

Para os efeitos de dar cumprimento ao estabelecido nesta resolução, constituir-se-á uma comissão que supervisionará o processo de admissão do estudantado e o cumprimento das normas que o regulam, e proporá, se é o caso, à Direcção-Geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa a adopção das medidas que considere adequadas. Os membros desta comissão são os que se recolhem no anexo desta resolução.

Quinto. Inscrição de os/as aspirantes ao acesso

1. A inscrição fará na secretaria da Escola de Conservação e Restauração de Bens Culturais da Galiza, no prazo compreendido entre o dia seguinte ao da publicação desta resolução e o 9 de junho, ambos os dois incluídos. Para tal fim, o centro deverá expor no seu tabuleiro de anúncios a normativa reguladora de admissão do estudantado, assim como o número de vagas oferecidas.

2. Para a formalização das solicitudes de admissão, a Escola facilitará às pessoas interessadas o modelo para o efeito. Uma vez coberto, entregar-se-á uma única instância na secretaria do centro, junto com a seguinte documentação: título de bacharel ou título equivalente, certificação de ter superado a prova de acesso à universidade para maiores de 25 anos, ou certificação de estar em posse de um título universitário de licenciado, escalonado ou título universitário de diplomado assimilado ao correspondente título universitário de grau. No caso de aspirantes que tenham pendente a superação da prova que substitui o requisito de título ou alguma matéria do bacharelato, fá-lo-ão constar na solicitude, ficando condicionado a sua admissão à superação dela.

3. O dia 13 de junho, a Escola de Conservação e Restauração de Bens Culturais da Galiza exporá as listagens provisórias de admitidos/as à prova específica no seu tabuleiro de anúncios e na sua página web. Os aspirantes que não fossem admitidos ou que observem erros na listagem poderão apresentar a sua reclamação os dias 14 e 15 de junho, na secretaria da escola.

4. O dia 16 de junho, a escola deverá achegar à comissão de acesso, através do correio electrónico sxapere@edu.xunta.es, a relação definitiva de inscritos para o acesso e admissão, ordenada alfabeticamente, com apelidos, nome, documento nacional de identidade, NIE ou passaporte, segundo proceda; prova ou provas que devam superar, e especialidade dos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais a que opte.

5. O dia 20 de junho, a relação definitiva de inscritos será exposta no tabuleiro de anúncios da escola, assim como no portal educativo da Conselharia de Cultura, Educação e Ordenação Universitária http://www.edu.xunta.és

Sexto. Acesso directo

1. De conformidade com o artigo 4.3 da Ordem de 21 de novembro de 2016, a percentagem de vagas sobre o total das oferecidas em cada especialidade para os aspirantes que estejam em posse de um título de técnico superior em Artes Plásticas e Desenho é de 20 %. O 80 % restante das vagas oferecidas será atribuído mediante a experimenta específica de acesso.

2. Os aspirantes que optem pelo acesso directo deverão formalizar igualmente a sua inscrição no processo de acesso e admissão segundo o procedimento e calendário estabelecido no ponto quinto desta resolução.

3. Os aspirantes que estejam pendentes da avaliação do projecto final ou da avaliação final de ciclo, para a obtenção de um título de técnico superior em Artes Plásticas e Desenho na convocação de junho do ano académico 2016/17, e em consequência não disponham do título antes de finalizar o prazo de inscrição, poderão igualmente formalizar a sua inscrição para o acesso e admissão aos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais, e deverão apresentar a certificação de ter solicitado o supracitado título para a formalização da matrícula no prazo ordinário estabelecido nesta resolução.

4. O critério de prelación na asignação das vagas disponíveis para o acesso directo a cada especialidade dos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais será o estabelecido pela melhor qualificação média final do expediente académico do ciclo formativo de grau superior em Artes Plásticas e Desenho alegado por cada aspirante. Quando o ciclo formativo de grau superior de Artes Plásticas e Desenho fosse cursado segundo um plano de estudos estabelecido ao amparo da Lei orgânica 1/1990, de 3 de outubro, de ordenação geral do sistema educativo (LOXSE), a nota calcular-se-á segundo se dispõe no artigo 9.4 da Ordem de 9 de setembro de 2004 pela que se regula a avaliação e a acreditação académica do estudantado que cursa os ensinos profissionais de Artes Plásticas e Desenho na Comunidade Autónoma da Galiza; no caso de ciclos cursados segundo um plano de estudos estabelecido ao amparo da Lei orgânica 2/2006, de 3 de maio, de educação (LOE), a nota calcular-se-á segundo se dispõe no artigo 19.9 do Real decreto 596/2007, de 4 de maio, pelo que se estabelece a ordenação geral dos ensinos profissionais de Artes Plásticas e Desenho.

5. Para os efeitos do cálculo da qualificação média final do expediente académico dos inscritos que solicitem aceder aos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais aplicar-se-ão, quando cumpra, as seguintes equivalências, excepto que no expediente académico do inscrito constem explicitamente as qualificações numéricas das disciplinas. Neste caso serão as que se tenham em conta:

– Suficiente/aprovado: 5,5.

– Ben: 6,5.

– Notável: 7,5.

– Sobresaliente/matrícula de honra: 9,0.

6. No caso de não ficarem cobertas as vagas correspondentes ao acesso directo, estas vagas serão atribuídas aos aspirantes que superaram a prova específica, em cada centro.

Sétimo. Desenvolvimento das provas

1. As provas específicas de acesso desenvolver-se-ão de acordo com o estabelecido no artigo 5 da Ordem de 21 de novembro de 2016.

2. As ditas provas levar-se-ão a cabo o dia 22 de junho na Escola Superior de Conservação e Restauração de Bens Culturais da Galiza, e desenvolver-se-ão de acordo com o calendário e horário que estabeleça o tribunal encarregado da sua realização e qualificação.

3. A Escola Superior de Conservação e Restauração de Bens Culturais da Galiza organizará a distribuição horária e de espaços para facilitar a actuação do citado tribunal.

Oitavo. Reclamações e recursos

1. A qualificação das provas específicas de acesso poderá ser objecto de reclamação dirigida ao presidente do tribunal cualificador, no prazo de dois dia hábeis contados a partir do dia da sua publicação. O tribunal deverá resolver sobre as reclamações apresentadas no prazo de dois dias hábeis seguintes ao do remate deste prazo de reclamação.

2. Contra das resoluções das reclamações emitidas pelo tribunal, a pessoa interessada poderá interpor recurso de alçada ante a Direcção-Geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa.

3. Os acordos e decisões sobre a asignação de vagas poderão ser objecto de reclamação, apresentada mediante escrito fundamentado na Direcção-Geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa, dirigida à comissão de acesso, e/ou mediante correio electrónico no seguinte endereço: sxapere@edu.xunta.es

Noveno. Admissão do estudantado

1. Concluída a prova específica, e antes do dia 27 de junho, o tribunal publicará a listagem de aspirantes apresentados/as com expressão da qualificação final obtida na prova específica, e aspirantes não apresentados/as, ordenada segundo a qualificação obtida na prova de acesso, em ordem decrescente, no tabuleiro de anúncios e na página web da Escola Superior de Conservação e Restauração de Bens Culturais, e remeterá a dita listagem à Direcção-Geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa, para a sua publicação no portal educativo.

2. O tribunal encarregado da avaliação e qualificação da prova específica de acesso deverá resolver sobre as reclamações em contra das qualificações e/ou sobre as solicitudes de correcção de erros recebidas, e publicarão o dia 30 de junho a listagem definitiva no tabuleiro de anúncios e na página web da Escola Superior de Conservação e Restauração de Bens Culturais, achegando a dita listagem à Direcção-Geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa para a sua publicação no portal educativo da Conselharia de Cultura, Educação e Ordenação Universitária http://www.edu.xunta.és

3. Depois da publicação da listagem com as qualificações definitivas dos aspirantes, a escola remeterá à comissão de admissão a proposta de alunos admitidos por especialidade, por turno de acesso mediante prova específica e por turno de acesso directo, com expressão de aspirantes admitidos e aspirantes em espera.

4. A comissão de admissão fará pública no portal educativo da Conselharia de Cultura, Educação e Ordenação Universitária, o dia 6 junho, a listagem definitiva de admitidos/as por turno de acesso.

Décimo. Matrícula

1. Os/as aspirantes que obtenham largo deverão formalizar a sua matrícula entre os dias 12 e 20 de julho, ambos os dois incluídos.

2. Para a formalização das solicitudes de matrícula, a escola facilitará às pessoas interessadas os modelos para o efeito. Uma vez cobertos, entregar-se-á uma única solicitude de matrícula na secretaria da escola, que se juntará à documentação já apresentada por o/a aspirante. A não formalização da solicitude de matrícula no prazo estipulado, excepto causas devidamente justificadas, que valorará a direcção da escola, implicará a perda do direito ao largo atribuído para cursar estes ensinos no ano académico 2017/18.

3. Rematado o prazo ordinário de matrícula, o dia 21 e julho, a escola remeterá à Direcção-Geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa, a listagem de estudantado matriculado em cada especialidade, assim como relação de vagas vacantes por turno de acesso.

4. O dia 26 de julho a Direcção-Geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa publicará no portal educativo da Conselharia de Cultura, Educação e Ordenação Universitária, as listagens de espera por turno de acesso.

5. No caso de ficarem vagas vacantes, a comissão de admissão estabelecerá um calendário de provas extraordinárias na primeira quinzena de setembro e fará públicas as vaga nas diferentes especialidades no tabuleiro de anúncios do centro e na sua página web. Estas provas realizar-se-ão de acordo com o estabelecido nesta resolução.

6. A posta em marcha de cada especialidade estará condicionar à existência de um mínimo de 10 alunos/as admitidos/as, não quantificando para estes efeitos, o estudantado repetidor.

Santiago de Compostela, 4 de maio de 2017

Manuel Corredoira López
Director geral de Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa

ANEXO

1. Tribunal encarregado da redacção, realização e qualificação da prova específica de acesso aos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais.

Provas de acesso ESCRBBCCG 2017-2018

Tribunal titular

Tribunal suplente

Presidente

José Antonio Quintal Alonso

Imaculada Santiago Cendán

Secretário

Andrea Fernández Arcos

Emma Pérez Teijeiro

Vogal 1

Alberto Conde Álvarez

Carmen Hermo Sánchez

Vogal 2

Mª Rosario López Díaz

Araceli Torres Fernández

Vogal 3

Ángela López García

Antón Pereira Abonjo

2. Comissão de admissão aos estudos superiores de Conservação e Restauração de Bens Culturais.

Presidente: Juan Durán Alonso.

Vogal: Álvaro Ariño Roure.

Secretário: Gonzalo Porral Mato.